O financiamento imobiliário é um recurso utilizado por quem deseja realizar o sonho da casa própria. Este financiamento parcela os custos do imóvel. No entanto, fazer um financiamento não significa que você deva levar o tempo determinado inicialmente para pagar a dívida ou que o valor das parcelas precise ser o mesmo até o fim.

É que você pode contar com a amortização de financiamento imobiliário, que nada mais é do que um adiantamento do pagamento do imóvel. A amortização reduz o saldo devedor perante a instituição credora, bem como os juros incidentes sobre este.

No entanto, para que você entenda bem sobre essa amortização, preparamos este post. Nele,  você vai conhecer as duas modalidades de amortização de financiamento imobiliário e como elas funcionam na prática. Também vamos mostrar quando vale a pena quitar o seu financiamento e como utilizar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para esse fim.

E aí, quer ficar por dentro de todo esse assunto? Então, acompanhe a leitura do nosso artigo!

Quais são as modalidades de amortização de financiamento imobiliário?

Redução no valor das parcelas

Essa forma de amortização reduz o valor das parcelas, mas mantém o prazo para quitar o imóvel.  Essa forma de amortização é excelente para quem deseja ter um alívio no orçamento mensal.

Assim, essa amortização é indicada para quem adota o sistema de parcelas fixas, pois a redução do valor destas parcelas pode ser uma vantagem.

Redução no tempo de financiamento

Essa é a segunda forma de amortização. Nela, o tempo de financiamento é reduzido, mas o valor das parcelas é mantido. Portanto, essa opção é indicada para as pessoas que adotam a modalidade de atualização das parcelas de financiamento.

Isso possibilita quem compra a casa ou o apartamento uma menor dependência da flutuação das taxas de juros. Entretanto, é bom que você saiba que as altas da Taxa Referencial não costumam apresentar grandes impactos no valor total do financiamento.

Quando vale a pena quitar o financiamento imobiliário?

Para saber se vale a pena quitar o financiamento imobiliário, você deve:

  • Verificar se o rendimento do dinheiro aplicado é maior que o valor dos juros a ser pago no financiamento. Enquanto o valor do dinheiro investido for maior, você não deve amortizar a dívida;
  • Ver se o orçamento familiar está comprometido pelo valor da prestação do imóvel. Mesmo se  o rendimento do dinheiro aplicado for maior que o financiamento, pode ser importante amortizar o crédito de forma a diminuir a prestação. Assim, você evitará problemas com a inadimplência dos pagamentos.

Portanto, é importante ressaltar que a prestação da contratação de um crédito habitacional deve representar, no máximo, 30% da renda familiar. Desta forma, você evita que o seu salário seja comprometido e não prejudica a saúde financeira da sua família.

Entretanto, se você tiver outras dívidas, como cartão de crédito ou cheque especial, o mais indicado é você quitá-las.

Como utilizar o FGTS para fazer a amortização de financiamento imobiliário?

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) também pode ser utilizado para amortizar o financiamento imobiliário. Ele pode ser usado a cada dois anos para antecipar o pagamento das prestações da casa ou do apartamento.

Viu como você pode amortizar o seu financiamento imobiliário? Agora que você já sabe o que fazer, ficará mais fácil quitar as suas parcelas, não é verdade?

Quer ler mais conteúdos como este? Acesse o nosso próximo post e saiba se você pode financiar um segundo imóvel!

Deixe uma resposta

Fechar Menu